Vídeo em destaque

segunda-feira, 30 de março de 2015

Pr. Silas Malafaia denuncia mais uma patacoada do ativismo gay e do governo






domingo, 29 de março de 2015

O Jesus que a gente não quer enxergar





     
      O Jesus que a gente não quer enxergar é exatamente o mesmo apresentado na Bíblia. O nosso problema é que queremos que Ele seja mais espiritual do que Ele realmente foi. Por pura religiosidade e conservadorismo humano, evitamos falar dos posicionamentos altamente provocantes adotados por Jesus. Se Ele viesse atualmente, escandalizaria muitos do mesmo modo que escandalizou em Seu tempo de peregrinação na Terra. Ele foi um provocador nato. Não aceitava o falso sentimento religioso disfarçado de espiritualidade e sempre confrontava os fariseus. Ele foi polêmico por natureza. Considere os muitos exemplos a seguir:
-     Jo 2.18-22: em uma de Suas primeiras provocações registradas por João, o Mestre dos mestres desafia os judeus a derrubarem o templo para que Ele o erga em três dias. Embora saibamos que se tratava do Seu corpo, na ocasião Jesus não deu nenhuma pista dessa possibilidade. Mesmo os discípulos não compreendiam Sua linguagem.
-     Jo 6.51-66: essa é uma das mais chocantes provocações de Jesus. A ideia de comer carne para o judeu já era difícil de assimilar, imagine comer a carne de um homem e beber o seu sangue!!! Apesar de Sua linguagem metafórica, não se observa Jesus preocupado com as interpretações. Parece que Ele queria exatamente isso, provocar nos judeus um choque. Ele conseguiu!
-     Jo 8.51-59: nesse momento os judeus perderam totalmente a paciência. Jesus foi tão radical que eles queriam matá-Lo apedrejado. Seria mais simples se Jesus explicasse o que dizia, mas não. Sua atitude era intencional, não era fortuita. Ele poderia usar uma linguagem mais acessível aos ouvintes, porém preferiu o caminho mais delicado. Isso não foi acidente!
-     Jo 9.1-34; 10.19-21: a cura de um homem cego num dia de sábado causou um rebuliço medonho! A reação dos religiosos é sempre previsível: reprovação. Pessoas religiosas reprovam tudo que sai do padrão humano conservador. Como pode um homem de Deus curar alguém no sábado? Dessa vez a provocação de Jesus não foi através de Palavras, mas de ações.
-     Jo 10.29-42: essa é a primeira vez que os judeus entenderam as Palavras de Jesus e por essa compreensão eles queriam novamente apedrejá-Lo. Por se colocar na categoria de Filho de Deus, Ele se torna igual a Deus, pois o que distingue um pai de um filho é apenas autoridade, ambos são da mesma espécie. E Jesus responde com uma pérola!

Ainda há muitas outras ocasiões em que Jesus provocou os fariseus: Mt 15.1-20; 21.23-27; 21.33-46; 22.41-46; Mc 11.15-18; Lc 4.23-30; 13.10-17. Há outras além destas que são mais sutis, mas não deixam de ser provocações. Com isso quero mostrar ao leitor que uma imagem franciscana de Jesus não corresponde à verdade! Ele não foi espiritual por ser carismático, Ele foi espiritual sendo chocante e provocativo. Esse era o Seu modo, mas não significa necessariamente que deva ser o nosso. É uma questão de personalidade (e não de caráter).
Você pode crescer muito mais espiritualmente quando se livra das garras da religião e das ferramentas ineficazes que ela te oferece. O problema é que isso custa muito caro. Infelizmente, a maioria das pessoas vai passar sua vida inteira limitada ao que diz o pensamento religioso, longe das insondáveis riquezas de Cristo (Ef 3.8). Porém, você deve saber que a graça não veio para limitar sua vida, mas para expandi-la. Ela não veio para retirar, mas para acrescentar. Descubra isso em Deus!

Um abraço a todos!

Marconi BS Costa