Vídeo em destaque

sábado, 21 de fevereiro de 2015

Exagerar princípios bíblicos




        Essa é uma prática muito comum, embora passe totalmente despercebida mesmo por aqueles que a praticam. Exagerar princípios bíblicos é fazer as pessoas acreditarem que a prática de tais princípios produz um resultado muito maior do que aquele que a própria Bíblia promete. Normalmente o que leva os pregadores a exagerarem princípios bíblicos é alguma necessidade momentânea que consideram urgente. Por exemplo, se uma igreja estiver com dificuldades financeiras, é provável que seus ministros sejam levados (conscientes ou inconscientemente) a falarem de modo exagerado sobre dízimos e ofertas, fazendo seus ouvintes acreditarem que ao darem dízimos e ofertas terão recompensas muito maiores do que as mencionadas no próprio Evangelho. Por outro lado, o exagero também pode ser expresso na forma de ameaças aterrorizantes.
A boa notícia em relação a isso é que na maioria dos casos esse comportamento é inconsciente. Por força das circunstâncias, os ministros perdem o equilíbrio e a serenidade e acabam forçando a barra com a igreja. A má notícia é que mesmo sendo inconsciente, essa prática é reprovada por Deus. Veja o que Ele diz em Jr 23.28: O profeta que tem sonho conte-o como apenas sonho; mas aquele em quem está a minha palavra fale a minha palavra com verdade. Que tem a palha com o trigo? – diz o Senhor. Esse texto é perfeito para o que estou tratando. Primeiro Deus afirma que o sujeito que tiver um sonho, conte-o apenas como sonho, i.e., não invente e não conte como se fosse uma fantástica revelação ou como se fosse uma mensagem celestial. Seja honesto consigo mesmo e com os demais. Particularmente, já vi muitos ‘profetas’ tendo sonhos com ‘revelações’ extraordinárias e hilárias. A mania dos religiosos é sempre apelar pra vaidade humana aumentando as coisas que vê e ouve, atribuindo a Deus supostas revelações que Ele não tem nada haver. Na próxima vez que você tiver um sonho, tenha mais cuidado e não seja sensacionalista.
Na segunda parte do texto em Jr 23.28, Deus recomenda aos portadores da Sua Palavra que falem a Palavra com verdade. Ou seja, é possível falar a Palavra de modo desonesto. É possível inventar, aumentar, exagerar, diminuir, distorcer e adaptar a Palavra aos interesses pessoais. É por isso que Deus recomenda: fale a minha palavra com verdade. Falar a Palavra com verdade é falar exatamente como Ela é, sem acréscimos e sem reduções. É não forçá-La em qualquer direção. É aceitá-La em Sua plenitude, sem mudanças e adaptações. E Deus coroa a mensagem com a seguinte pergunta: Que tem a palha com o trigo? A palha é a tolice humana que interfere no verdadeiro conteúdo da Palavra e adapta seu conteúdo a interesses pessoais subjetivos. O trigo é a Palavra em seu estado puro e genuíno, sem mescla com a religião. Que relação há entre o trigo genuíno da Palavra com a palha dos exageros e das tolices humanas? NENHUMA! Ou seja, Deus não pode ser responsabilizado pelos equívocos humanos.
Só há uma forma dos ministros não cometerem exageros com a Palavra: confiando n’Ela de modo incondicional. Normalmente, você só comete esses erros humanos quando sua fé não está plenamente desenvolvida. Se você confiar em Deus e em Sua Palavra da maneira que merecem, jamais usará artifícios espúrios para tirar vantagens no Reino de Deus. Jamais recorrerá a malabarismos teológicos. A dignidade do Evangelho exige um padrão moral muito elevado e até certo ponto é compreensível que a maioria das pessoas esteja muito aquém deste padrão, até mesmo entre ministros e pregadores. Por outro lado, muitas vezes quando você pratica a Palavra de Deus e vive em Seu mais alto padrão, pode ter uma estranha sensação de que não vale a pena ou de que suas expectativas serão frustradas. Mas é uma sensação passageira e a perseverança irá lhe mostrar preciosas e valiosíssimas realidades acerca do modus operandi divino. Boa sorte em sua jornada.
Um abraço a todo


Marconi BS Costa