Vídeo em destaque

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

O Estado deve aprender com a Igreja!!!




       No Brasil, é muito raro ouvir uma pessoa reconhecer o importante papel que a igreja evangélica desempenha. A disposição para criticá-la é consideravelmente maior do que para admitir os benefícios que ela proporciona. Mesmo entre os que se dizem cristãos, há uma atmosfera de constante insatisfação e indiferença.
Aproveito aqui o momento oportuno para divulgar um vídeo de alguém que não é evangélico, mas é uma pessoa suficientemente sensata para não deixar de reconhecer uma grande contribuição da igreja para a sociedade.
Rubem César Fernandes é graduado em Filosofia pela Universidade de Varsóvia (1964), mestre em História Social pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1969), mestre e doutor em História do Pensamento Social pela Columbia University (1972; 1976). É fundador e diretor executivo da Viva Rio. No vídeo que divulgo a seguir, Rubem demonstra claramente que a igreja é a instituição mais eficiente na recuperação dos viciados em drogas e que o Estado deve aprender com ela.
A lucidez na argumentação de Rubem não tem qualquer relação com compromisso religioso, uma vez que ele não é ligado a nenhuma igreja. O vídeo foi gravado no programa Roda Viva da TV Cultura e pode ser assistido na íntegra. O que é exibido a seguir foi editado.
Observe como é raro encontrar alguém honesto intelectualmente a ponto de reconhecer a importante contribuição da igreja a respeito de um tema tão delicado.





Marconi BSC

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

O que é a vida?











Eu não sei o que a vida é e não sei o que ela não é, mas tenho a impressão de que a vida humana parece ser uma grande experiência e o planeta Terra, um enorme laboratório. Posso estar completamente enganado, mas às vezes tenho a sensação de que somos um experimento. Não propriamente um experimento científico, mas ainda assim um experimento. Há quem considere o nosso planeta um zoológico, mas não compartilho dessa opinião. Também não cultivo uma perspectiva romântica da vida. Creio que somos um experimento num sentido mais amplo, não restrito ao aspecto científico.
Se a discussão sobre esse assunto for suficientemente avançada, inevitavelmente acabaremos discutindo sobre a natureza da realidade. E esse tema é muito mais denso. Por enquanto, ficaremos no básico!
Sou cristão e acredito no conceito bíblico da criação, embora admita que haja mais de uma interpretação possível para o relato descrito em Gênesis. Particularmente e atualmente, encaro a vida como um processo contínuo de criação e não pontual. Parece que apesar de termos sidos gerados em algum instante específico do passado, ainda está em andamento uma atividade entre Criador e criatura que aparentemente não cessará tão cedo. É como se a vida humana fosse uma experiência visando algo posterior e a fase atual fosse apenas uma estação.
É como se o nosso Criador quisesse nos mostrar algo ou quisesse que enxergássemos algo. Mas estamos embrutecidos. A gente mal vê um palmo à nossa frente e já achamos que sabemos demais. Neste cenário, a vida humana é uma realidade sujeita a princípios. Não pode subsistir em si mesma sem uma ação externa.

Marconi BSC

 


quinta-feira, 26 de maio de 2016

Missão Portas Abertas - Domingo da Igreja Perseguida









      A Missão Portas Abertas talvez seja a instituição missionária mais séria do nosso país. Particularmente, considero uma contradição gigante dedicar os maiores esforços missionários aos países que não são os menos evangelizados do mundo. Tem muita gente confundindo missões com turismo e passeio. Neste quesito, a Missão Portas Abertas dá um show exemplar.
      O evento intitulado Domingo da Igreja Perseguida (DIP) desperta os irmãos brasileiros para uma realidade que a maioria desconhece: a perseguição religiosa. Se você pretende ser um missionário, saiba que há muitos lugares nada atraentes e badalados precisando de você. Se o que você busca é de fato servir a Deus em missões, evite ser envolvido pelo glamour de lugares lindos e sedutores.

Um abraço a todos.

Marconi Costa


quinta-feira, 3 de março de 2016

domingo, 21 de fevereiro de 2016

Complexidade Irredutível : Desafio e Resposta ao Dr. Pirulla










     E eu pensando que esse tal de ‘Pirulla’ era um pesquisador sério. A enorme desonestidade intelectual desse sujeito é descomunal. Esses biólogos sofrem da pior síndrome que conheço. Eu denominei de síndrome do ‘Eu Sou’. Eles são apenas biólogos, mas na cabeça deles são biólogos, físicos, químicos, matemáticos, filósofos, teólogos, astrônomos, sociólogos, arqueólogos, antropólogos etc.
     Eles costumam usar argumentos patéticos, mentirosos e distorcidos acerca, por exemplo, do design inteligente. Pra essa galera, o compromisso ideológico com o darwinismo está muito acima da busca pela verdade científica. Eu já achava Richard Dawkins pueril, e agora descubro esse tal de ‘Pirulla’. Perca de tempo total ouvir pessoas como ele.
     Se o leitor acha que estou enganado, estude um pouco, por exemplo, de termodinâmica e verá que a vida é um fenômeno IMPOSSÍVEL na ausência de uma ação inteligente externa. É uma mentira colossal afirmar que a vida é um fenômeno espontâneo. Esse tipo de ateu é intelectualmente irrelevante, tal como a maioria deles. 
     O vídeo elaborado por Douglas Aleodin é muito bom. Recomendo a todos.



quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Profissões incompatíveis com o Cristianismo








     No segundo podcast do Pensando a Verdade, trazemos à tona um assunto curioso: a incompatibilidade de algumas profissões com o Cristianismo.
     Não é um tema tão trivial quanto parece e o nosso objetivo é instigar o ouvinte. Embora tenhamos apresentado um fechamento sobre o assunto, a ideia central é estimular o sujeito a raciocinar, investir tempo meditando, pensando e pesquisando sobre um assunto.
     Em breve, traremos outros assuntos. Esperamos que seja útil para edificação.

Um abraço a todos.

Marconi BS Costa

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

A insanidade ateísta – Parte III








     Frequentemente, os ateus ostentam uma postura arrogante e ilusória de suposta superioridade intelectual em relação aos cristãos. O comportamento infantil deles os leva a crer que o simples fato de recusarem a ideia de um ser divino os põe numa condição superior. O detalhe é que a afirmação fundamental do ateísmo, ‘Deus não existe’, é completamente destituída de racionalidade, sobretudo quando se constata que eles não sabem nada do que afirmam ter tanta certeza.
     A ausência da racionalidade no argumento ateísta é simples: eles não sabem definir Deus e nem sabem esclarecer o que significa existir. Peça a qualquer ateu da geração toddynho para apresentar uma definição clara de Deus e de existir e você terá argumentos tolos e pueris. A maioria desses “ateus” não sabem nada de filosofia e teologia, nem mesmo de física, química, matemática, biologia, teoria da informação etc. Como alguém pode fazer uma afirmação extremamente profunda como “Deus não existe” com arrogância, presunção e empáfia, sem sequer saber definir Deus ou existir? Nós cristãos afirmamos que Deus existe, porém sem a mesma vanglória dos ateus.
Isso não é culpa dos ateuzinhos geração toddynho. Nos dias atuais, ser ateu é chique, está na moda. E um dos maiores promovedores dessa moda é Richard Dawkins. Ninguém nega que Dawkins é um biólogo competente, mas em termos de assuntos teológicos e filosóficos, ele é um completo e absoluto desastre. Típico de ateus como ele que acham que podem falar de um assunto por terem conhecimento em outro. Um ateu sofisticado e honesto jamais seria tão infantil como o Dawkins e Cia. A geração todynho dos ateus parece mais um movimento financiado, são na verdade ativistas anticristãos. O próprio Dawkins que pousa de intelectualmente superior, não sabe definir Deus e nem sabe muito menos o que significa existir.
Curiosamente, mesmo sem saberem, a principal afirmação dos ateus parece está correta. De fato, aparentemente Deus não existe. O que existe é o universo e tudo o que ele contém, incluindo o fenômeno da vida. Porém, Deus é. Ele não existe, Ele é. O conceito de existir passa muito longe da essência divina. A melhor forma de descrever o Seu estado de Ser, é aquela que Ele mesmo usou para responder a Moisés: ​​Disse Moisés a Deus: Eis que, quando eu vier aos filhos de Israel e lhes disser: O Deus de vossos pais me enviou a vós outros; e eles me perguntarem: Qual é o seu nome? Que lhes direi? ​​Disse Deus a Moisés: EU SOU O QUE SOU. Disse mais: Assim dirás aos filhos de Israel: EU SOU me enviou a vós outros”. (Êx 3.13,14) Deus é!
     Como um Ser sem início e sem fim pode se autodefinir ao ser humano de maneira compreensível? Deus é ontem, Deus é hoje e Deus é amanhã. Ele é antes, durante e depois do espaço e do tempo. Ele é fora do tempo. Lógico, a geração toddynho não entende metade dessas informações. O exibicionismo ateísta nada mais é do que pura infantilidade. Na verdade, a maioria dos ateus é intelectualmente irrelevante, especialmente a geração toddynho.
     Portanto, não se intimide com algum ateu que exibe uma falsa postura de superioridade intelectual. Um diploma não significa praticamente nada, especialmente numa cultura que faz o indivíduo supor que possui autoridade em um tema quando sua formação é em outro.
     Não dá pra encerrar esse post de outra maneira, a não ser com as Escrituras:
“Diz o insensato no seu coração: Não há Deus.”
Sl 53.1



sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Celebridades do mundo gospel: 1º podcast do Pensando a Verdade




       Depois de mais de três anos desejando, finalmente conseguimos gravar o primeiro podcast do Pensando a Verdade. A ocasião em que tivemos tempo de gravar o podcast coincidiu com as recentes e polêmicas declarações do cantor gospel Thalles Roberto. Não era esse o tema que tínhamos proposto para o nosso primeiro podcast, mas foi extremamente oportuno.
O foco desse primeiro podcast não é Thalles Roberto em si, mas suas equivocadas declarações que servem de diagnóstico do estado delicado em que se encontram as celebridades do mundo gospel. Não é nosso objetivo julgar o cantor Thalles e nem encorajar ninguém a fazer isso. Devemos julgar as profecias e não os profetas (I Jo 4.1). Analisar o conteúdo daquilo que é dito seja por celebridades do mundo gospel seja por qualquer outra pessoa não é o mesmo que julgá-las.
A ideia é instigar o leitor a analisar cuidadosamente o conteúdo daquilo que ouve e vê.